As Crônicas de Acheron

As Crônicas de Acheron é uma série de fantasia publicada em capítulos semanais no Mapingua Nerd. Com inspiração em Tolkien, Lovecraft, Robert E. Howard e outros mestres da fantasia e do horror, o mundo de Acheron é repleto de mistérios a cada página virada e seus personagens vivem grandes dramas em meio a aventuras épicas. A elegante narrativa proporciona ao leitor vivenciar registros documentais fragmentados de uma época perdida, onde deuses, colossos e criaturas lendárias viviam entre os homens e influenciavam seus destinos.

As Crônicas de Acheron

 

      Em sua juventude, Acheron logo sofreu com a destruição maligna advinda dos misteriosos Três Males, nascentes no coração dos homens. E o Mal, próspero, revelou sua mais terrível face, quando Draemoniach se fez o Dragão Azul e guerreou contra o Sol, espalhando destruição pela ainda infante Terra dos Carvalhos, até se transformar no Caos em movimento.

 

      Mas em Bel – a Cidade Abençoada – o Uno e seus arautos – Gorath, Orath, Fyr e Zetricon – observavam tudo. Enquanto a raça dos homens sofria com o malfazejo dos Deuses criados, Bel se lamentava. Até que o malion do Juízo do Senhor da Cidade Abençoada derramou sua ira, e então veio a Água Súbita e lavou a terra. E homens e criaturas abençoadas finalmente criam estar salvos do Mal que assolou toda a terra.

 

      Mas Claekuth, a oracular de Thelim, recebeu em visão uma estranha predição a respeito do Herói. O que isso significaria, se o Caos em movimento havia sido destruído por ordem do Uno? Poderia o Mal suscitar mais uma vez na Terra dos Carvalhos? Tais perguntas, após centenas de primaveras, foram respondidas em uma ordinária noite de inverno, em Thelim.

 

    As crônicas contidas nesse livro retratam a visão dos homens, mulheres e criaturas esperançosas que se envolveram nos últimos acontecimentos de uma Acheron afundada em inveja, ambição e ódio. Um mundo irresistível prestes a cair.

 


 

.: ÍNDICE :.

– As Crônicas de Acheron –

Coleção de textos em forma de crônica escritos pelo bardo contador Melikae, onde ele narra as aventuras épicas vividas por Ranemann e Atelith de Thelim, seu irmão tremar Zitri de Ziporih, e Sabretil do Makalabeth, ao período final da Era do Declínio.

Capítulo 1Prólogo – A Batalha de Damonih contra Ninrim e a Visão de Claekuth

Capítulo 2Prólogo – A Batalha de Damonih contra Ninrim e a Visão de Claekuth – Parte II

Capítulo 3Da conclamação do Caos e a Loucura na Floresta Escura

Capítulo 4Da queda de Ranemann e o surgimento da Floresta Escura

Capítulo 5Do sonho de Ranemann e da queda do Dragão Azul

Capítulo 6Do sonho de Ranemann e da queda do Dragão Azul – Parte II

Capítulo 7Da demanda de Zitri e Melikae nas cavernas de Femiaren – Parte I

Capítulo 8 Da demanda de Zitri e Melikae nas cavernas de Femiaren – Parte II

Capítulo 9Da demanda de Zitri e Melikae nas cavernas de Femiaren – Parte III

Capítulo 10Da passagem Zitri e Melikae para o Mundo Mosaico de Atheran – Parte I

Capítulo 11Do encontro de Ranemann e Atelith com o Tomasco na Floresta Escura

Capítulo 12Da demanda de Ranemann e Atelith no coração da Floresta Escura e a predição sobre a Loucura

Capítulo 13O Amor de Ranemann e os Festivais de Illil e Zetricon

Capítulo 14Da passagem de Zitri e Melikae para o Mundo Mosaico de Atheran parte II: a partida de Zitri

Capítulo 15Da chegada de Zitri ao Makalabeth e seu encontro com Sabretil e Damonih

Capítulo 16Da emboscada dos homens do leste e a partida de Damonih

Capítulo 17Da chegada de Ranemann e Atelith aos domínios de Vatrehuh e a Visão de Ranemann da primeira grande guerra da Era do Declínio

Capítulo 18 Da chegada de Melikae ao Gohin e seu encontro com Cravedin

Capítulo 19Da batalha de Melikae e Cravedin contra Dutryor e a reunião dos Arrependidos

Capítulo 20Do encontro de Melikae com os Três Reis e o engano de Cravedin

Capítulo 21Da vingança de Sabretil e Zitri contra os homens do leste

Capítulo 22Da visão de Zitri na Floresta Escura e a maldade das árvores espiãs

Capítulo 23Da Benção de Illil sobre o Amor de Zitri e Sabretil na Floresta Escura

Capítulo 24Da Reunião do Conselho do Povo das Alturas

Capítulo 25Da Chegada de Zitri ao Povo das Alturas e a Marcha das Formigas

Capítulo 26Da chegada das formigas à Cidade de Pedra

Capítulo 27Sobre o sinal das águias e a decisão de Notrum

Capítulo 28Do Clamor de Notrum na Noite Escura da Essência

Capítulo 29Da querela entre Sertravh e Damonih e a tristeza de Ranemann

Capítulo 30Da visão de Ranemann nos estábulos de Vatrehuh e a cilada de Jotih

Capítulo 31Da conjuração de Jotuh e Atelith

Capítulo 32Da segunda visão de Ranemann da Grande Guerra do Fim da Era do Declínio

Capítulo 33Da Marcha da Patrulha para o Norte

Capítulo 34Da Cilada das Árvores Espiãs no Leste

Capítulo 35 – Da maldade de Jotuh e a Tormenta de Ranemann

Capítulo 36 – Da queda de Jotuh

Capítulo 37Da Apreensão de Ranemann na Floresta das Sequoias Colossais

Capítulo 38Da Surpresa de Ranemann na Floresta das Sequoias Colossais

Capítulo 39Da reunião de Vatrehuh, Sabretil e Ranemann na clareira da Floresta do Leste

Capítulo 40Do relato das formigas sobre o cerco de Ziporih

Capítulo 41Do relato das formigas sobre o cerco de Ziporih – Parte II

Capítulo 42Do relato das formigas sobre o cerco de Ziporih – Parte III

Capítulo 43Do relato das formigas sobre o cerco de Ziporih – Parte IV

Capítulo 44Da reunião em Thelim sobre o cerco de Ziporih e a decisão de Lemael

Capítulo 45Da fuga dos nobres de Ziporih

-Fragmentos do Livro dos Dias –

O Livro dos Dias contém uma coleção de textos considerados sagrados pelos oraculares de Thelim, organizados pela Ordem do Templo de Ziporih, fundada pelo grande Nartreg, o primeiro senhor da Cidade de Pedra, após a descida da Água Súbita. Retratam os relatos da tradição oral da juventude de Acheron, e nele se encontram textos diversos que revelam alguns mistérios contidos nas crônicas registradas pelo bardo contador Melikae nos momentos finais da Era do Declínio.

Sobre a carta perdida de Claekuth entregue aos irmãos da Ordem do Templo

Da criação de Draemoniach e a da Dissensão entre o Vento e o Sol

Do Surgimento dos Míticos Alados

Do surgimento da Floresta Escura e dos deuses degenerados

Do surgimento da Floresta Escura e dos deuses degenerados: Atheran e Gwinvein

Do surgimento dos Míticos Alados e da impureza de coração das dezoito esposas de Orath

Da criação do Mundo Mosaico de Atheran

Da astúcia de Atheran e Gwinvein e o surgimento de Mitranil

Do Surgimento de Mitranil e sobre a perversão das Terras Proibidas

A respeito dos Milcah, das Guerras Silenciosas dos Irmãos e da chegada da Água Súbita

O fim da Era dos Profetas do Caos e a descida de Zetricon

Sobre Zetricon e Illil

Do jardim de Zetricon e Illil e o desagrado de Orath

 

 


 

.: O AUTOR :.

A história do mundo lendário de Acheron vem sendo escrita há uma década por Antonio J. A. Vasconcelos II. Leitor ávido, vencedor de concursos de contos e um apaixonado por fantasia e horror, seja em livros, filmes ou games. O autor é professor universitário da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Mestre em Ciências Odontológicas e especialista em Estomatologia, desenvolvendo intensa atividade acadêmica. No Mapingua Nerd, além d’As Crônicas, publica ainda as colunas Memórias de um Old Gamer e Receitas Épicas.

Para saber mais, curta a página de As Crônicas de Acheron no Facebook e converse com o autor nas redes sociais: Facebook | Instagram | VK

 

Outros Links:

+ Matéria: “As Crônicas de Acheron”, fantasia de autor amazonense, será publicada gratuitamente
+ Vídeo: Entrevista com o autor de “As Crônicas de Acheron”

 

 

Sobre o Autor

perdeu as contas de quantos mantras realizou para zerar aos onze anos Faxanadu. Suas habilidades crescentes já na infância o levaram a fazer uso da Master Sword todas as vezes em que houve necessidade (desde a Criação até a Era o Caos e da Prosperidade). Atualmente anda às voltas com os reinos de Boletaria, Lordan e Drangleic porém nunca esquecendo que deve estar de pé às seis para levar luz àqueles que necessitam. Gosta de caqui, sustos, games, comida-que-mata, poesia, pringles, fantasia-fantástica, pôr-do-sol… e Pepsi!

Não necessariamente nessa ordem.

Os comentários estão desativados.