Taverna do Mapinguari 13 – Parte I – Como trabalhar com games – A cena indie

Publicado em 4 de abril de 2016 | Por Thiago Henrik | Games, Podcast, Taverna do Mapinguari

Bem-vindo à Taverna do Mapinguari!

Insert Coin e confira este episódio especial em duas partes, onde falamos de algo que fascina os nerds: a criação de games! Na primeira parte, falamos da Cena Indie: marcada por jogos extremamente criativos e por desenvolvedores que fazem, na raça, praticamente tudo sozinhos, do rascunho inicial à venda do jogo completo. E para falar disso, Emerson Oliveira e Thiago Henrik recebem, na Taverna, Cláudio Sampaio (Tree of Dreams) e Thaís Weiller (JoyMasher), para contar como eles fazem o que eles fazem.

Press Start e não esqueça de conferir a segunda parte, sobre o trabalho nas gigantes dos games, que sai na próxima segunda!


+ Fale com a gente: taverna@mapinguanerd.com.br

+ Arte da vitrine: Cesar Edgar

+ Edição completa: Emerson Oliveira

Sobre o Autor

veste Capa-e-Espada despojado, seus ̶h̶o̶b̶b̶i̶t̶s̶ hobbies favoritos são: filmes massa-velho, histórias de fantasia e mangás apelativos. Já alcançou o 7º sentido, destruiu o Um Anel na Montanha da Perdição, chegou ao último andar da Torre Negra, retirou a espada da pedra e já perdeu muitos pontos para a Grifinória. Não abre mão do segundo café da manhã e costuma esquecer que o mundo não está em seus livros e mapas. Instagram: @thiabolico

Comentários

  • Robson Loureiro

    Muito maneiro esse papo gente. Lembro que cheguei a sair da cidade no RPG Maker, mas quando ia fazer uma caverna desisti. Outro com o qual brinquei muito foi o M.u.g.e.n. que me tirou muitas horas da vida. Acharia ótimo poder trabalhar com games tbm, mas programação me mata também. Roteiro e música é mais a minha cara, então quem sabe um dia caio nessa. Parabéns pelo cast gente.

    p.s. Twitter > Facebook

    • Eu comecei váaarios jogos em RPG Maker. Passava vários meses trabalhando neles, chegava a fazer algumas coisas bem legais, mas nunca terminava o jogo.

      O Mugen nos trouxe o primeiro jogo indie brasileiro a fazer sucesso: Street Chaves haha. Inesquecível.

      Valeu por ouvir, e segunda que vem tem a segunda parte, com uma galera que trabalha nas grandes empresas de games, tá muito maneiro também!

  • Vejo com bons olhos as industrias de games e até de entretenimentos em geral no Brasil, conheço pessoas que estão iniciando nessa área e vejo coisas muito boas surgindo no futuro. Um exemplo é esse feito por um colega meu Wesley, eis o link. http://casadosquadrinhos.blogspot.com.br/2015/05/master-class-3d-e-games-projeto-floss.html

  • O sonho da maioria dos gamers é trabalhar com desenvolvimento de games ou melhor, ser testador de games. Eu, como analista de teste e quem passa a trabalhar com desenvolvimento acaba percebendo que, apesar de ser bom trabalhar com isso, desenvolver/testar jogos não é tão prazeroso quanto jogar descompromissadamente. hehehehe Ótima conversa, gente! E um beijo pro meu amigo do <3 Claudio Sampaio que está arrasando na carreira de desenvolvedor de jogos. :*

  • Ronaldo Junio

    Excelente podcast com ótimos convidados. Esperando por mais conteúdo como esse tema e entre outros que estão cada vez mais crescendo em Manaus.

    • Valeu Ronaldo! Na próxima segunda já tem a parte II dessa conversa, com outros convidados 🙂

  • Sempre amei a parte de criação de character para games, ótimo cast e bem esclarecedor para aqueles que almejam se lançar na área.

  • Pingback: Taverna do Mapinguari 14 | Side Quest | Carreta Furacão, Tia do Batman, Her Story e Um Homem entre Gigantes – Podflix - Podcast()