Spoiler Pipoca | A ideia de fazer um remake é tão ruim assim?

Publicado em 27 de novembro de 2016 | Por Ayrton de Oliveira | Cinema, Colunas, Spoiler Pipoca

Apesar do nome, o Spoiler Pipoca não vai te dar spoiler (nem pipoca). Sente e aproveite.

Nunca acho que estamos vivendo uma época preguiçosa no cinema. Acontece que, talvez pelo fator nostalgia, está cada vez mais comum a volta de alguns clássicos em forma de remake. Afinal, fazer um remake é algo tão ruim assim? Bem, eu imagino que não importa o quão ruim seja o remake, o filme original vai permanecer intocável. Logo de início já falo, não existe isso de “um remake vai estragar o original” porque não vai. A não ser que o remake seja um objeto de viagem no tempo, que volte no tempo e estrague o filme original, você só está reagindo de uma forma exagerada, ou sendo uma pessoa chata.

Em teoria, remakes são para servir de um entretenimento para uma geração que pouco se interessaria por filmes mais antigos. A primeira coisa que vem na minha cabeça quando lembro de remake são os filmes de terror. É uma tarefa difícil citar alguns filmes de terror que ganharam continuações e permaneceram com um bom enredo, ou que pelo menos respeitassem a cronologia de sua série. Após tantos filmes, que acabaram sendo ruins, é bem comum ver alguma saga ganhando remake, como foi o caso de Sexta Feira 13, Hora do Pesadelo, O Massacre da Serra Elétrica. Um outro filme de terror que ganhou remake foi Carrie, a Estranha. Só que no caso desse último filme, já ganhou dois remakes.

Um dos maiores problemas, sem dúvidas, de muitos filmes é o roteiro. Se o roteiro não é bom, não tem como salvar o filme. E na maioria das vezes, alguns remakes não vão ter um bom roteiro, e só foram feitos para uma tentativa de ganhar dinheiro. É claro que uma série de outros fatores vai fazer com que um filme seja ruim, às vezes os produtores e o estúdio se metem demais no trabalho do diretor e do roteirista, desse jeito o filme acaba sofrendo muitos cortes ou não ganha um foco, ou até mesmo existem casos de um diretor estar fazendo o filme sem saber exatamente do que o filme se trata.

Apesar de muitos filmes que acabam não sendo um bom remake (Olá, Exterminador do Futuro), existem aqueles que conseguem se sair muito bem, como é o caso dos remakes em live action da Disney. Existe uma série de jovens que cresceram assistindo os filmes da Disney e possuem uma ligação especial com essas animações. A companhia, claro, vai querer ganhar muito mais dinheiro em cima disso, mas estão ganhando dinheiro de uma forma boa. Mogli foi um sucesso e um filme bastante divertido. Na lista de próximos lançamentos, temos A Bela e a Fera que já promete encantar com todas suas referências, e algum tempo atrás saiu uma notícia de que Rei Leão também vai ganhar um remake, sendo assim, só esperamos pelo melhor.


Quando um remake é necessário?

Na minha opinião, as pessoas poderiam tentar conhecer alguns bons clássicos do cinema e se acostumar com “filmes mais lentos”, mas eu entendo que existem filmes que não vão conseguir falar com uma nova geração. As vezes também é bom levar em consideração que no passado, a tecnologia era um pouco mais precária e os efeitos especiais não eram tão bons assim.

Primeira regra do Clube do Remake: Um remake é necessário quando é vista a possibilidade de apresentar aquele filme (de uma forma boa) para uma nova geração que possa, por fim, querer conhecer o original.

Star Trek de J.J. Abrams faz isso muito bem. Consegue divertir antigos fãs, faz com que novos fãs possam aparecer, e é uma boa diversão blockbuster pra quem procura um bom filme.


Um remake sempre vai ser ruim?

As palavras “sempre” e “nunca” dificilmente vão ser usadas com tanta certeza. Bem, infelizmente tem muito remake ruim no mercado e tem muito remake ruim chegando a nós todos os anos. O filme Ben-Hur é o preferido dos cinéfilos quando o assunto é remake. O filme de 1959 é amado pelos fãs de cinema e idolatrado por vários, ao lado de Titanic e Senhor dos Anéis e o Retorno do Rei, o filme conseguiu faturar 11 estatuetas do Oscar em uma só noite, e esse filme é um remake. Já em 2016, Ben-Hur ganha outra remake e bem… é um filme ruim.

Segunda Regra do Clube do Remake: Espere o pior, prepare-se para o pior e aproveite o que vier, porque pode vir muito ruim.


Então existe remake bom?

Existe muito remake bom. Você sabia que o Scarface com Al Pacino é um remake? E é um ótimo filme, até hoje amado por cinéfilos de todo o mundo e indicado como um dos maiores clássicos do cinema. Outros bons filmes também podem entrar na lista, como A Madrugada dos Mortos de Zack Snyder e Os Infiltrados de Martin Scorsese, mas isso é assunto para outro Spoiler Pipoca.

Terceira Regra do Clube do Remake: Assista de tudo e assista o original também, você só tem a ganhar assistindo filmes e amando o cinema.


E você é a favor ou contra remakes? Deixa aí um comentário falando sua opinião, e a gente se encontra em outro Spoiler Pipoca.

Sobre o Autor

"Ele é um deus, ele é um homem, ele é um fantasma, ele é um guru." Apaixonado por filmes, costumo ser o Batman nas horas vagas e San Junipero até às 00:00. Sou fascinado por Doctor Who, e queria ter uma caixa azul maior por dentro. Fora isso, já falei que amo filmes?

Comentários

  • Olga Laís Gomes

    Eu lembro que uma vez um amigo foi comentar em algum post meu falando que remakes, em geral, eram ruins. Meu pai (o maior cinéfilo que você respeita!), por sua vez, respondeu o comentário discordando do posicionamento do meu amigo e elencando vários remakes excelentes! Desde aí, eu não duvido da capacidade das regravações hahahah, mas acho muito muito arriscado.