Quatro autoras para conhecer em 2018

Publicado em 20 de dezembro de 2017 | Por Maria Cecília Costa | Literatura

As artes foram, por séculos, ligadas a um estereótipo sexista do gênero feminino e, ainda, consideradas menos relevantes que outros campos do conhecimento. Mesmo assim, quando se envolve posições de poder e influência, homens ainda dominam como autores plenamente conhecidos. Quantos livros escritos por mulheres você já leu?

No Brasil, segundo o estudo “Literatura Brasileira Contemporânea – Um território contestado”, de Regina Dalcastagné, 72% dos autores publicados são homens e 62% dos personagens são do sexo masculino. Por maior que seja sua variedade de obras, é bem possível que, ao examinar sua estante, se depare com uma porcentagem bem maior de autores homens. Então aí vão quatro autoras pra começar a ler em 2018!

Margaret Atwood

Se você não viu – ou pelo menos ouviu falar – de “The Handmaid’s Tale” (“O Conto da Aia”, em português) em 2017, você perdeu, talvez, a melhor série do ano. A produção é baseada no livro homônimo da canadense, de 1985, que conta como seria a vida em uma teocracia na qual todas as mulheres são propriedade do Estado. Seu tema mais frequente são mulheres oprimidas pelo sistema onde estão. No final de 2017, a Netflix lançou a série “Alias Grace”, também baseada em uma obra de Atwood.

Marjane Satrapi

Ilustradora, foi a primeira iraniana a escrever histórias em quadrinhos. Durante a infância em Teerã, onde estudava em uma escola francesa, observou a crescente perda das liberdades civis durante a Revolução Iraniana e a Guerra Irã-Iraque. Tais lembranças se transformaram na série de quadrinhos “Persépolis”, que foi adaptada para animação em 2007.

Chimamanda Ngozi Adichie

Considerada como uma das novas vozes do feminismo, Chimamanda é uma escritora nigeriana residente nos Estados Unidos. Seu primeiro romance “Hibisco Roxo”, de 2003, conta a história de uma família subjugada por uma figura paterna cruel e extremamente ligada aos dogmas trazidos pela colonização. Sua palestra TED foi transformada no livro “Sejamos todos Feministas”. Assista!

Hilda Hilst

Já anunciada como principal homenageada da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip 2018), Hilda é uma escritora brasileira famosa, principalmente, por tocar em temas polêmicos. Considerada uma das maiores escritoras do século XX, junto com sua grande amiga Lygia Fagundes Telles, Hilst morreu no início dos anos 2000 e sua obra e biblioteca completas estão na Casa do Sol, em Campinas, sede do Instituto Hilda Hilst.


Sobre o Autor

é estudante do sexto período de Comunicação Social - Jornalismo da Universidade Federal do Amazonas. É líder do grupo de voluntariado social Nexa Amazonas, além de escrever para o blog do PETCom Ufam e colaborar para a revista Mundo Estranho. Apaixonada por literatura e cinema, não é nem tão cult, nem tão farofa quanto deveria ser.

Comentários