Mangá acontece no Brasil do séc. XVII e tem garoto indígena como protagonista

Publicado em 7 de setembro de 2016 | Por David Dornelles | Artes, Entrevistas, Quadrinhos

A Lenda de Bóia se passa no Brasil no século XVII. Bóia é um pequeno índio que vive na cidade sagrada, lar dos religiosos e pacíficos Saruçus, uma das mais importantes tribos da floresta mãe. Filho de Arari, o grande guardião que é amado por todos e temido até pelos deuses, e de Ita, uma linda e gentil dama de cerimônia dos templos gêmeos de Fauna e Flora, que fica situado no centro da cidade.

Por ser um menino antissocial, possui apenas dois amigos: Kugo, um mico leão que sempre apronta e mete todos em confusão, e Kale, a sua prometida. No dia da cerimônia do plantio, a cidade foi atacada e todos foram amaldiçoados, excetuando Bóia e Kugo, e agora o pequeno e último Saruçu deverá quebrar a maldição e libertar sua família e o seu povo, para isso ele inicia uma longa jornada onde encontrará novos amigos, aliados, alguns adversários e muitos inimigos… Uma jornada que fará dele uma lenda.

Entrevistamos o autor Léo Andrade, que nos contou algumas curiosidades sobre o projeto.


Como você começou a trabalhar no A lenda de Bóia?

Eu queria fazer algo para a minha filha, daí tive a ideia de contar a história do Bóia, o personagem eu criei para o roteiro de um filme, só que agora queria começa a sua história pegando na sua infância, mas com o passar do tempo eu acabei gostando do que estava saindo e acabou que me empolguei e chegou no que vemos hoje.

Inspiração para criar o projeto?

Uma pergunta difícil, mas vamos lá, o Bóia foi planejado desde o seu início, acho que de todos os projetos que tenho – uns  100 eu acho – ele  foi o primeiro que simplesmente não nasceu, e sim foi criado, tipo a uma grande diferença quando você tem uma ideia e ela vai se desenvolvendo meio que sozinho, e aquela que você faz tudo planejando, de cor de personagem, roupas, mascotes etc… sendo assim, fica meio complicado por uma definição da inspiração, acho que vem de tudo um pouco, de tanto coisas que gosto, quanto que odeio.

MN - Bóia e Saruçus

Com qual personagem se identifica?

Certamente o Bóia, ele é tudo que eu sou e muito do que sempre sonhei em ser.

Origem do nome do Bóia e como você desenvolveu o protagonista?

Gosto dessa pergunta, Lembro como se fosse hoje eu estava indo fazer compras com a minha mãe, eu devia ter sei lá, uns 6 aninhos, quando em Niterói, passando em frente ao ponto das barcas, a gente parou em frente à uma estátua gigante, eu fiquei impressionado, e perguntei pra ela, quem era, ela leu e me disse que era Araribóia, um herói indígena (deveria está escrito lá), juro, fiquei maravilhado e sempre passei por ai, o tempo passou e depois li sobre ele, quando criei o personagem queria um nome legal, putz, lembrei do Araribóia, mas eu queria algo curtinho, daí cortei o nome e botei Bóia, de logo depois, precisei criar o pai do Bóia, resolvi usar o resto do nome e assim nasceu Arari, uma simples homenagem há um grande heróis indígena, de VERDADE!!!  Agora, quanto ao desenvolvimento do Bóia, eu pensei bastante no que eu queria, e por fim, resolvi fazer baseado em mim. Sempre pensei em fazer algo do tipo, e calhou do Bóia ser eu, ou pelo menos muito do que eu gostaria de ser e tal. 

O tamanho do Bóia eu fiz pensando no Gon de Hunter vs Hunter e no Link de Zelda, eu curto bastante personagens baixinho e de aparência frágil, fazendo coisas épicas e gigantescas.

Há quanto tempo você trabalha no ramo dos quadrinhos/mangás?

Bom, eu nunca trabalhei no ramo, sou técnico de informática e fotografo, mas sempre curti escrever e desenhar (desde de CDZ), e por muitos anos eu fui fanzineiro, mas depois que a minha filha nasceu em 2008, eu parei de ir em evento e deixei de lado, mas recebi uma segunda chance de realizar um sonho antigo e até então PERDIDO. E foi graças Deus e ao Bóia que tudo isso vem acontecendo, um bom exemplo é essa entrevista!

MN - A lenda de Bóia

Qual a mensagem que quer passar com o mangá?

A maior e mais importante dela é um pedido de desculpa aos índios por tudo que já fizemos e ainda estamos fazendo com eles. Serim… é de cortar o coração! Outra que fazer o povo olhar para o nosso folclore, mitos e lendas com outros olhos, nada contra o que vem de fora, mas temos uma riqueza gigante aqui, e infelizmente poucos se importam, e esse é um dos grandes motivos do uso do tema no Bóia.

Dificuldade em fazer um trabalho independente hoje?

São dois… primeiro o preconceito do povo, algo realmente assustador, o povo simplesmente não curte trabalho nacional, e olha que temos grandes artistas, gente na boa, chega a ser triste, e a segunda, nem preciso dizer que é a parte financeira… E fala com toda certeza que muitos projetos não ganham vida hoje, por causa desses dois males. Mas fico feliz que veja que aos poucos as coisas vêm mudando, prova disso e a boa aceitação do Bóia, juro que não espera e isso só me dar mais força, agora a parte da GRANA, no meu, vou te falar, que tenho que fazer alguns sacrifícios, só que para mim, cada um deles tem valido muito apena.

MN - A Lenda de Bóia (Asura)

O que acha sobre outros projetos nacionais?

Tenho visto muita coisa boa saindo aí, e acompanho alguns de perto, e acabei me tornando amigos dos seus criadores como: Dragon Tales (Fabiano Santos), A lenda da Gralha Azul (Fabiano Ferreira), Galácticos (Rodrigo Lozasso), Rising Destiny etc.

(Rafael Ribeiro) entre outros. Grandes projetos com potenciais enormes, mas que ainda assim como o Bóia e outro, poderiam está muito melhor, se o preconceito por obras brasileiras não fosse tão grande. O bom que isso não nos impede de continuar né? Como diz o Kugo… Go go go!

 Para que outras mídias, pretende levar A lenda de Bóia?

O Bóia com o passar do tempo, foi crescendo tanto na minha cabeça. Que vi nele uma abertura para muitos lugares, e logo passei a pensar nele como um projeto multimídia. Hoje os meus planos são mangá (a linha de tempo principal do projeto), livro (aonde será lançado um a cada 12 capítulos do mangá, ou seja, um por ano), games de celular e PC, quero RPGs de mesa, card game e board game também e claro o que mais for legal pro projeto. Acho que todo o caminho é valido no caminho do projeto.

Qual recado você gostaria de mandar para os leitores?

Muito obrigado de coração a todo apoio que venho recebendo de vocês e posso dizer numa boa, que sem vocês eu não estaria aqui e por favor, deem uma força a outros projetos nacionais, porque tem muita coisa boa aí!


Eu li o primeiro capítulo e amei. Não perde em nada para um mangá japonês, tanto em história quanto em qualidade gráfica. E deixo aqui minha fanart do Kugo:

MN - Bóia (fanart Kugo)

O segundo capítulo de A Lenda de Bóia estará disponível em breve, mas você já pode ir conferindo o trabalho dele em sua página do facebook.


Sobre o Autor

está do lado de Aslam, mesmo que não haja Aslam. Quer viver como um narniano, mesmo que Nárnia não exista.

Comentários

  • AGN

    Uma ótima iniciativa!