II mostra de Cinema Venezuelano começa amanhã em Manaus

Publicado em 16 de agosto de 2016 | Por Ayrton de Oliveira | Cinema, Eventos, Manaus

Talvez uma das artes que mais rápido se espalhou pelo mundo foi o cinema e, mesmo que pouco conhecido, o Cinema Venezuelano vai ganhar espaço em Manaus com exibições gratuitas nos dias 17, 18 e 19 de agosto, no Teatro Gebes Medeiros, a partir das 18h30, com entrada gratuita.

O evento é realizado pelo Consulado Geral da República da Venezuela em Manaus, em parceria com o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura.

14046016_1074450172591583_5116315489268576402_n
Confira a programação completa:
Dia 17 – Um Olhar para o Mar (2011) – Andrea Rios.
Sinopse: Conta a história de Rufino, um viúvo de 71 anos, que decide voltar à cidade onde sua esposa nasceu. Ali, se reencontra com um velho amigo, que adotou uma menina chamada Ana-E, com quem Rufino terá que conviver. A solidão dos dois os confronta, iniciando traçados para um novo caminho de superação do abandono.
Dia 18 –  A Classe (2007) –  José Antonio Varela.
Sinopse: A obra mostra o drama da jovem violinista Tita. Integrar uma orquestra sinfônica é a sua maior satisfação de vida, mas sua permanência nela coloca a sua vida e a de sua família em perigo. Diante da oportunidade de fugir para um novo mundo, diferente de tudo o que já viu, o destino de um país a leva a uma encruzilhada definitiva.
Dia 19 – Dramas de Poder – Roman Chalbaud. 
Sinopse: Narra a história do revolucionário Fernando Quintero e de seu filho Efraín. Após a queda do ditador Pérez Jiménez na Venezuela, Quintero sobe ao poder e começa a trair seus ideais para se tornar cúmplice da repressão institucional. Efraín, decepcionado com o pai, transforma-se em adversário do governo e do próprio Fernando, desencadeando um triste final.

Sobre o Autor

"Ele é um deus, ele é um homem, ele é um fantasma, ele é um guru." Apaixonado por filmes, costumo ser o Batman nas horas vagas e San Junipero até às 00:00. Sou fascinado por Doctor Who, e queria ter uma caixa azul maior por dentro. Fora isso, já falei que amo filmes?

Comentários