Drones: como funcionam e usos curiosos | Yeah Science!

Publicado em 28 de Abril de 2017 | Por Alberto Carvalho | Tecnologia, Yeah Science!

Creio que todo mundo já ouviu falar de drones. Os robôs que voam se tornaram assunto que desperta curiosidade e seus feitos os tornaram populares. Mas você já se perguntou o que são, exatamente, os drones? Como eles funcionam? Então senta aí que vamos te explicar como eles funcionam e alguns usos bem legais deles.


Como funcionam?

De pequeno porte e comandados remotamente por um operador, os drones variam, e muito, de um modelo para o outro. Seus controles variam dos mais simples, que podem ser manuseados na tela de um smartphone, a mais complexos, que exigem controle remoto via rádio próprio.

A maior parte do seu corpo é formado por fibra de carbono, o que garante leveza e resistência, as poucas partes de plásticos se restringem a pontos da estrutura que não são cruciais para a resistência do aparelho e o metal está nos parafusos, na bateria e nos motores.

Há diversas configurações de drones, mas os mais comuns são os quadricópteros, aqueles com quatro motores localizados nas extremidades de quatro eixos. A tecnologia usa o mesmo princípio que explica como os helicópteros se mantêm no ar.

As baterias que, por questões de peso, tendem a ser muito pequenas, tem pouco tempo de duração. Mesmo os melhores drones do mercado normalmente têm autonomia de voo de poucas horas.

Na fuselagem do aparelho há um circuito integrado de GPS, que permite navegação precisa e voo mais livre. Usando posições de localização via satélite, é possível traçar previamente um trajeto e soltar o drone que seguirá a risca o caminho desenhado pelo controlador. Na mesma placa, há um computador que recebe as instruções de navegação em caso de controle manual e as transmite para os motores, aumentando ou diminuindo a aceleração e a altitude. 

O Phanton 3 que o Mapingua Nerd testou possui esses recursos, que podem ser visualizados na tela de controle no smartphone.

Para que usar?

Boa parte dos drones que circulam no mercado são utilizados para captura de imagem, desde fotos para pesquisas científicas até gravações cinematográficas.

Existem também drones mais complexos e que fogem desse modelo padrão. Os drones militares, muito bem representados naquele reboot de qualidade discutível chamado: Robocop (desculpa Padilha) são um bom exemplo disso.

Talvez o uso que tenha causado maior alarde nos últimos meses é o de serviço de entrega usado pela Amazon. Os Octocopters, como foram batizados, conseguem carregar pacotes de até 2,3 kg e demoram cerca de 30 minutos para realizar a viagem após a encomenda.

Na Austrália, essa ideia foi implementada pela iniciativa da startup Flirtey, onde os consumidores compram os livros por um aplicativo e o drone leva a encomenda direto para o destino solicitado. 

Na Inglaterra, a rede de pizzarias Domino’s criou o Domicopter, que faz a entrega de pizzas de forma rápida e eficiente. Ainda no ramo alimentício, um restaurante de sushi, também na terra dos britânicos, usa os drones para levar pedidos às mesas.


Sobre o Autor

estuda administração, produz vídeos para o Youtube (youtube.com/plotbr) e adora dormir. Ama cinema, quadrinhos, tecnologia e estranhamente também gosta de esportes.

Comentários