HQ Rio Negro mistura Lovecraft e lendas indígenas da Amazônia

Publicado em 17 de janeiro de 2016 | Por Naka | Manaus, Notícias, Quadrinhos

Se você é fã das obras de H. P. Lovecraft, gosta de quadrinhos e adora quando lendas indígenas se misturam com a realidade, assim como eu, você não pode perder a HQ ‘Rio Negro’.

A ideia surgiu quando o autor, Ikarow, descobriu que em 1997 uma pesquisadora do INPA encontrou um único exemplar de um peixe com características únicas que não se encaixavam em nenhuma das famílias conhecidas. E que em agosto de 2001 outros exemplares do mesmo peixe foram encontrados, identificando assim sua possível localização.

mapinguanerd rio negro1

E é em meio a tudo isso que a série começa: quando o jovem pesquisador Helton Zuanon e a fotógrafa ambiental Margot Walker embarcam em uma viagem em direção às regiões remotas do Rio Negro, em busca do habitat desse peixe misterioso. E o que eles não sabem é que a região para onde seguem é conhecida pelas comunidades isoladas que ainda hoje cultuam um antigo Deus-Peixe, que acreditam ser o Deus dos segredos e dos pesadelos.

ep1

A HQ Rio Negro está sendo publicada em capítulos de cinco páginas, de forma quinzenal, no app Social Comics e na fanpage do projeto no Facebook. Mas o autor me contou que planeja publicá-la em edição física e, no momento, busca apoio para um um projeto de financiamento coletivo.

ipad

Uma de suas propostas é mostrar que o iPad é também um estúdio digital para criação, uma vez que todo o projeto depois de digitalizado é colorido e finalizado no ipad. Para saber mais sobre o autor e acompanhar seu trabalho, você pode seguir seu perfil no DeviantArt.

Sobre o Autor

Contador, Cozinheiro, Vocalista, Ator, Roteirista, Diretor de Esquetes de Humor, Escritor, Colunista e mais outras coisas que não consigo lembrar.

Comentários

  • Elvys da silva benayon

    Excelente notícia, sucesso na empreitada!! E essa referência marota no barco ficou show também…

  • DovalCruz

    É muito maneiro o trabalho desse cara, torço muito pelo sucesso dessa obra, vale a pena. O espírito Lovecraftiano está presente nisso.