5 figurinos marcantes na cultura pop

Publicado em 29 de dezembro de 2017 | Por Maria Cecília Costa | Cinema, Moda & Estilo, Séries

Quando se fala de moda, é comum ouvir associações entre ela e adjetivos como “fútil” e “inútil”. Não se pode esquecer, no entanto, que assim como as demais formas de arte, o modo de se vestir tem funções documentais e de expressão. Olhando as roupas, cores e combinações que alguém usa, é possível situá-la no tempo, no espaço e, ainda, ter uma ideia sobre suas posições e lutas.

A moda vai muito além do mundo das passarelas e da alta costura, permeando todo o nosso cotidiano, ainda que não prestemos atenção suficiente a ela. O modo de se vestir tem papel fundamental em praticamente todas as manifestações culturais, inclusive em elementos icônicos da cultura pop.

  1. Corte de cabelo ‘Rachel’, “Friends” (1994 – 2004)

    O corte “Rachel”

Um dos cortes mais pedidos nos anos 90, o corte ostentado por Jennifer Aniston durante as primeiras temporadas de “Friends”, série onde interpretava a patricinha Rachel Green. Durante as temporadas da série, os cortes de Rachel diziam muito sobre o estado e amadurecimento da personagem, e foram responsáveis por firmar o estilo de luzes característico de Aniston. Apesar de tudo isso, a atriz já afirmou ter odiar seu corte mais famoso.

  1. Biquíni da Princesa Leia, “Star Wars: Episódio VI – O Retorno de Jedi” (1983)O biquíni de Leia, símbolo da escravidão de Leia, acabou virando símbolo sexual, o que Carrie Fischer odiava

Um dos figurinos mais lembrados é o famigerado biquíni usado pela princesa durante seu período como escrava. A roupa, composta bojos de cobre e tecidos esvoaçantes, acabou fazendo de Carrie Fischer um símbolo sexual, título que rejeitou até o fim da vida. Após a estreia de “O Despertar da Força”, Fischer aconselhou Daisy Ridley a “continuar lutando contra aquela roupa de escrava”.

 

  1. Cruella Devil, “101 Dálmatas” (1996)

    Cruella Devil, interpretada por Glenn Close

Interpretada por Glenn Close, Cruella Devil é uma das vilãs mais emblemáticas, e isso se deve, em grande parte, ao seu figurino. Tanto na versão live-action quanto na animada, o preto e o branco se repetem nos cabelos e nas roupas, combinando com a paleta de cores dos próprios – adivinhem – dálmatas. Mais uma vez, o figurino muda ao longo dos filmes, transparecendo o estado de espírito da personagem.

  1. Influência de Dior e Princesas Disney, “Cinderela” (1950)

    Os figurinos das princesas Disney, em geral, se relacionam com os traços de Christian Dior e trajes medievais

Junto ao pós-guerra veio, a necessidade de manter o fascínio da população por um ideal. O surgimento de Christian Dior preencheu essa lacuna, trazendo de volta formas com muitas extravagâncias em sua produção: em épocas de racionamento de matéria-prima, um único vestido Dior usava até 40 metros de tecido. Sob influência dessa época, foi feito “Cinderela”, que relacionou o estilo à ideia de ‘princesa’. A sequência da transformação das roupas de Cinderela foi a favorita de Walt Disney.

  1. Elie Saab e personagens femininos, “Game Of Thrones” (2010 – 2017)
    Parte da coleção de outono 2017 “Um conto de reis caídos”, da grife Elie Saab

Sucesso estrondoso em tudo quanto é mídia, nada relacionado a GoT passa despercebido. Muito menos o figurino da série, que já inspirou coleções das lojas de departamento Renner e da grife de alta costura Elie Saab. Formulados por Michele Clapton – que também assina o figurino de “The Crown” – as roupas são, frequentemente usadas como evidências para teorias de fãs, principalmente sobre Sansa, Daenerys e Cersei.


Sobre o Autor

é estudante do sexto período de Comunicação Social - Jornalismo da Universidade Federal do Amazonas. É líder do grupo de voluntariado social Nexa Amazonas, além de escrever para o blog do PETCom Ufam e colaborar para a revista Mundo Estranho. Apaixonada por literatura e cinema, não é nem tão cult, nem tão farofa quanto deveria ser.

Comentários