#11 Mapingua Indica

Publicado em 6 de dezembro de 2015 | Por Mapingua Nerd | Mapingua Indica

Nakamura indica: Gantz

Mapingua Indica 11 (3)
“Professora! o Kurono tá de pinto duro!”

Kei Kurono, 16 anos, morre atropelado junto a um amigo, Masaru Katou. E assim são transportados para uma sala para participar de um jogo sanguinário, violento e competitivo, comandado por uma esfera negra chamada Gantz. Esqueça seus conceitos de herói, vilão, certo e errado. E prepare-se para momentos que vão desde dar pause para se espocar de rir à momentos de pura tensão e desespero que só fãs de Game of Thrones estão acostumados.


Thiago indica: 20th Century Boys

Mapingua Indica 11 (1)

20th Century Boys é um mangá (e anime) que conta a história de um grupo de garotos japoneses do final da década de 60 que, após a escola, faziam o que garotos fazem: se reúnem na sua base secreta pra ler mangá, olhar revistas de mulher pelada roubadas, ouvir rock no rádio e, claro, brincar de ser heróis. Eles imaginam um cenário futurista onde, no longínquo ano 2000, um grande mal assola o planeta e eles precisam lutar para salvar o mundo, no melhor estilo Tokusatsu. Eles anotam tudo em um caderno batizado de “O Livro da Profecia”. Acontece que eles vivem suas vidas, envelhecem e, na virada do século, tudo o que eles imaginaram começa a acontecer, de forma terrível. Os 17 volumes do mangá acontecem nos anos 1969-70, 1997, 2000 e 2014, mas não é confuso. Apesar da sinopse pareceber boba, a história é bem interessante, tom sério, cheia de suspense e reviravoltas… e ainda bate aquela nostalgia, ao lembrar dos amigos e brincadeiras da infância.


Samantha indica: Elfen Lied

Mapingua Indica 11 (2)

 Eu sempre fui mais de shoujos, yuris e yaois, mas alguém (ou algum site) me fez querer assistir Elfen Lied, alguns bons anos atrás, e até hoje me refiro ao mesmo como meu anime preferido – dos que eu baixava, não dos que passavam no Cartoon. Mas então, Elfen Lied é um anime meio drama, meio sci-fi, meio terror, que conta a história dos “Diclonius”, uma espécie mutante de homo sapiens, aparentemente dádivas de Deus para destruir a raça humana como se tem hoje… o que não deve ser NADA difícil a partir do momento que você vê a principal, Lucy, com vários braços invisíveis e incrivelmente fortes; e fica pior quando a “irmã” dela aparece. O anime só teve uma temporada, com 13 episódios, e um OVA. Recomendo forte pra quem gosta de sangue, teorias da conspiração, mutações e telecinésia. 


Ayrton indica: Hotaru no Haka

Mapingua Indica 11 (4)

Hotaru no Haka (Cemitério dos Vagalumes) é uma animação do Studio Ghibli lançada em 1988 que conta a história de dois irmãos durante a Segunda Guerra Mundial. Com o pai servindo ao exército e a mãe morta durante os conflitos, mostra como segue a vida de Seita cuidando de sua irmã, ainda criança, Setsuko. 

O filme é um dos mais tristes que eu já assisti, é muito bom, além de ser bastante profundo, mostrando todo o esforço do irmão tentando manter sua irmãzinha segura, com momentos em que ele a tenta convencer de que tudo ficará bem, roubando comida para a alimentar e até chorando quando consegue ver todo o sofrimento que a guerra causou para os dois.

Indico, por mais que seja bastante difícil não ficar triste, pois essa animação traz emoção e realismo tão grande que consegue ser melhor caso fosse lançada em live-action, apesar de que existe também um live-action já que o filme é baseado em um livro.


Larissa indica: Barakamon

Mapingua Indica 11 (1)

Foi muito difícil escolher um anime pra recomendar. MUITO. Sério. Mas Barakamon é mais que merecedor. Plot leve, divertido, você assiste e sai de bom humor, abraçando coelhos de algodão-doce e tal. O personagem principal é Handa, um calígrafo jovem e muito premiado, mas tem uma personalidade bem (bosta) ruim. Depois de perder um concurso de caligrafia seu pai o manda para o interior para desenvolver “um estilo próprio” e ele conheçe Haru, uma menininha que junto com outros personagens muito bacanas mostram sobre o valor das coisas simples. <3


 


Sobre o Autor

Ph'nglui mglw'nafh Mapinguari R'lyeh wgah'nagl fhtagn.

Comentários